1) O que é Ressonância Magnética?

A ressonância magnética é um exame para diagnóstico por imagem que retrata imagens em alta definição dos órgãos através da utilização de campo magnético. A ressonância magnética não utiliza radiação, porém uma vez que o aparelho tem um potente campo magnético é preciso alguns cuidados com a segurança dos pacientes e seus acompanhantes.

2) Qual é o equipamento da Ressonância Magnética?

Philips Achieva de 1.5 Tesla. É um equipamento de alto campo magnético - modelo fechado, que gera uma qualidade de imagens bastante superior aos modelos de campo aberto.

3) Como é o ambiente da sala onde se realiza a Ressonância Magnética?

O equipamento é localizado em uma ampla sala, climatizada, com painéis de paisagens, proporcionando ao nosso paciente o máximo de conforto.

4) Qual é o tipo de contraste utilizado no exame de Ressonância Magnética?

O contraste utilizado é conhecido como Gadolínio e é um contraste não reagente.

5) Para que serve o Contraste?

Em alguns exames é necessário o uso do contraste para melhor visualização de lesões e patologias. A indicação da necessidade do contraste é determinada pela equipe liderada pelo médico radiologista que acompanha o exame.

6) Como é eliminado o Contraste do organismo?

Através do sistema excretor (urina) principalmente nas primeiras 24 horas.

7) Para que servem os questionários?

Servem para a segurança do paciente e para fornecer informações fundamentais ao médico radiologista que realizará a elaboração do laudo do exame.

8) Qual é a diferença de Campo Aberto e Campo Fechado?

Refere-se ao tipo de magneto (túnel) no qual o paciente entra para fazer o exame. No campo aberto (baixo campo) o túnel é maior, mas o exame é mais demorado e possui uma qualidade de imagem bastante inferior aos de campo fechado (baixo campo).

Como a única sensação de claustrofobia é nos exames de crânio, não existe diferença prática entre as duas máquinas, pois a bobina é a mesma, porém a de campo aberto, como já descrita, tem uma qualidade muito inferior.

9) Qual o problema que o paciente pode ter caso realize várias vezes este tipo de exame?

A Ressonância magnética não trabalha com radiação ionizante, portanto não existe problemas na realização de vários exames, mesmo em curto espaço de tempo.

10) Quadro comparativo RM ALTO CAMPO x BAIXO CAMPO (CAMPO ABERTO).

Os equipamentos de RM possuem um forte campo magnético que varia entre 0,2 Tesla a 3 Teslas. Para comparação, a força do campo gravitacional da Terra é de 0,005 Tesla.
Para produzir um campo magnético tão forte, existem 3 tipos de magnetos: Resistivo, Permanente e Supercondutor.
O magneto resistivo assemelha-se a resistência de um chuveiro, no seu funcionamento. Esse equipamento é ligado na energia elétrica e forma um campo ao redor de um fio enrolado. Esses magnetos atualmente não são usados para medicina diagnóstica pois consomem muita energia e campos relativamente baixos.
O magneto permanente está sempre ligado. É formado de várias peças magnetizadas que juntas formam o campo principal. Essa tecnologia tem uma manutenção mais barata, porém a força desses campos são limitadas normalmente a 0,3 Tesla. Essas máquinas são chamadas de RM de Baixo Campo ou Campo Aberto, pois o desenho do magneto se assemelha a um sanduiche, com uma “parte” em cima e outra “embaixo“, deixando os lados mais livres.
Os magnetos supercondutores são os mais utilizados atualmente e os que oferecem as melhores imagens e diagnóstico mais precisos. Além disso alguns exames de RM só são possíveis de serem realizados nesses equipamentos. Os campos magnéticos são muito altos variando de 1 Tesla a 3 Teslas. Sendo que apenas em campos acima de 1,5 Tesla é possível fazer estudos de espectroscopia. Esses equipamentos são mais caros para sua aquisição e manutenção. O padrão nas grandes clínicas e hospitais são os equipamentos de alto campo. O baixo campo só é utilizado como auxiliar para exames de extremidade.

 

ALTO CAMPO

BAIXO CAMPO

IMAGEM

ALTA DEFINIÇÃO

POUCA DEFINIÇÃO

DIAGNÓSTICO

ALTA PRECISÃO

BAIXA PRECISÃO

DURAÇÃO DE EXAME

EXAMES EM 15 MINUTOS

EXAMES EM 1 HORA

ESPESSURA DE CORTE

CORTES DE MENOS DE 1 CM

CORTES ACIMA DE 5 CM

EXAMES REALIZADOS

FAZ TODOS OS EXAMES

FAZ APENAS ALGUNS EXAMES

RESOLUTIVIDADE

EXAME DEFINITIVO

GERA NOVOS EXAMES

CLAUSTROFOBIA

NOVOS MAGNETOS COM ABERTURA GRANDE FRONTAL E TRASEIRA

MAIS ABERTO NAS LATERAIS, PORÉM MESMA SENSAÇÃO CLAUSTROFÓBICA DEVIDO AS BOBINAS E APROXIMAÇÃO DA PARTE SUPERIOR COM O ROSTO DO PACIENTE.

Quais são as principais indicações para a Ressonância Magnética? As principais indicações para o exame de RM são:
- Neurológicas: acidentes vasculares, tumores, aneurisma, trauma e processos inflamatórios.
- Coluna vertebral: hérnias, tumores, trauma e processos inflamatórios.
- Vascular: estudo angiográfico de todo o corpo. Aneurismas, malformações, estenoses e pós-operatório.
- Abdome e Pelve: tumores, trauma, infecções, malformações, endometriose e outras.
- Ortopédicas e reumatológicas: estudo das articulações e segmentos apendiculares para diagnósticos de lesões por trauma, degenerativas, processos inflamatórios, infecciosos, tumorais, dentre outras.

Existem contra-indicações ou riscos para o exame de RM? As contra-indicações do exame são pacientes com alguns tipos de clipes metálicos de aneurisma e portadores de marcapasso cardíaco. Portadores de outros tipos de materiais devem comunicar à equipe antes da realização do exame.

O exame de RM é indolor e inócuo ao organismo, não havendo efeitos colaterais conhecidos. Alguns pacientes no entanto, referem claustrofobia, principalmente nos equipamentos de campo fechado. Mas muitos deles conseguem permanecer no equipamento durante o tempo de exame, mesmo nos de campo fechado, desde que bem orientados e esclarecidos pela equipe médica e paramédica de todos as etapas do exame, passo a passo. É fundamental a experiência da equipe para o conforto deste tipo de paciente.

Como é o exame e a duração média de cada exame?

O paciente deita-se sobre uma maca móvel e é posicionado um aparelho (bobina ou antena) sobre a região de interesse do estudo. Esta região do corpo deve entrar no centro do campo magnético (túnel) e o paciente deve permanecer imóvel durante todo o procedimento, com a respiração suave e uniforme. Alguns exames exigem uma colaboração mais ativa do paciente, sempre orientado pela equipe, como por exemplo, parar de respirar por alguns segundos. Dependendo da indicação e dos achados de imagem durante o estudo, pode ser indicada a injeção endovenosa de solução de contraste paramagnético, denominado Gadolínio.
Um exame de RM dura em torno de 15 a 20 minutos, dependendo da complexidade do estudo.

Após realizado o exame, como as imagens são processadas e enviadas ao médico solicitante? Após a aquisição das imagens, estas são enviadas a um servidor de imagens por onde o radiologista acessa numa rede local ou através da internet, utilizando um monitor de alta resolução para a análise e emissão do laudo em até 3 dias. Estas imagens também podem ser transmitidas através desta rede ou internet ao médico solicitante ou serem impressas em filmes radiográficos e/ou papel. A tendência mundial é a eliminação da impressão de imagens, já que as imagens eletrônicas têm inúmeras vantagens como custo, facilidade de envio e transmissão, arquivamento por tempo indeterminado e de poderem ser manipuladas quanto ao brilho e contraste, tamanho, anotações e medidas das estruturas, dentre outras vantagens.

Qual o risco de reação alérgica ao contraste? O contraste usado na RM é o Gadolínio, que é um medicamento muito seguro. Caso tenha interesse em aprofundar neste tema, veja aqui um resumo de um estudo realizado em mais de 78 mil pessoas (adultos e crianças) que receberam esse tipo de contraste.

Reação alérgica ao contraste de RM

Freqüência e gravidade das reações alérgicas agudas aos meios de contrastes paramagnéticos (Gadolínio) em crianças e adultos
Frequency and Severity of Acute Allergic-Like Reactions to Gadolinium-Containing IV Contrast Media in Children and Adults
Artigo publicado na American Journal of Roentgenology - AJR 2007; 189:1533–1538 Jonathan R. Dillman, James H. Ellis, Richard H. Cohan, Peter J. Strouse, Sophia C. Jan

Principais destaques deste estudo: ● Foram estudados retrospectivamente 78.353 administrações endovenosas do meio de contraste contendo gadolinio, no período de 01/01/2001 a 31/12/2006, sendo 65.009 adultos e 13.344 crianças, sendo 54% pacientes femininos e 46% pacientes masculinos.
● Deste total de administrações de gadolínio, foram registradas 54 reações alérgicas agudas (correspondendo a 0,07 %), com freqüência de 0,04 % em crianças e 0,07 % em adultos. Do total de 54 reações, 35 ocorreram em mulheres e 19 em homens.
● A idade média dos pacientes que tiveram reação foi de 47 anos (de 22 a 74 anos) e para as crianças de 9 anos (7 meses a 15 anos).
● Dos pacientes que tiveram reação alérgica, 40 (74%) tiveram reação considerada leve; 10 (19%) moderada e 4 (7%) grave. Nenhum caso de óbito foi registrado.
● 25 (50%) dos 52 pacientes que tiveram reação ao contraste tinham um ou mais fatores de risco identificáveis. Seis pacientes (12%) tinham história de reação alérgica prévia ao gadolinio.Três pacientes (6%) tinham história de reação alérgica a meio de contraste iodado e dois pacientes (4%) tinham história de asma. Vinte pacientes (38%) tinham história de alergia a outros medicamentos e dez pacientes (19%) tinham um ou mais fatores de risco. Metade dos 52 pacientes (50%) não tinham nenhum fator de risco aparente.

Classificação da gravidade e manifestações das reações alérgicas ao meio de contraste. American College of Radiology (ACR)

Efeito collateral (a)

Leve (b)

Moderado (c)

Grave (d)

Náusea

Vômito

Alteração no paladar

Sudorese

Calor

Rubor

Ansiedade

Prurido

Rash cutâneo

Urticária

Tosse

Congestão nasal

Espirro

Edema palpebral leve

Edema facial leve

Dispnéia

Broncoespasmo

Edema laríngeo leve

Taquicardia sintomática

Bradicardia sintomática

Hipotensão

Hipertensão

Insuficiência respiratória grave

Perda da consciência

Convulsão

Arritmia

Angioedema progressivo

Parada cardiorrespiratória

Obs: Pacientes que apresentam múltiplas manifestações são classificadas de acordo com o sinal ou sintoma mais grave.

(a) São respostas fisiológicas ao meio de contraste e não são consideradas reações alérgicas.
(b) Não requer intervenção médica, exceto a necessidade de possível anti-histamínico em caso de reações cutâneas.
(c) Requer tratamento medico imediato ou transferência para o pronto Socorro.
(d) Risco de vida. Transferência imediata para o pronto Socorro.